Uderzo – 1927-2020

Hoje o tema é de homenagem àquele que nos deixou na data de hoje, quando estou escrevendo e gravando este episódio, 24 de março de 2020: Albert Uderzo, criador da incomparável dupla Asterix e Obelix, vitimado aos 92 anos por um ataque cardíaco.

Albert Uderzo (Fismes, 25 de abril de 1927 – Neuilly-sur-Seine, 24 de março de 2020) foi um dos principais desenhistas franceses e um dos maiores da história.

Uderzo é célebre por ter criado em parceria com René Goscinny o personagem Asterix, bem como outros personagens como Humpá-Pá.

Asterix e Obelix, por Chaboute
Asterix e Obelix, por Chaboute

Durante a infância, Uderzo desejava ser mecânico de aviões, embora já exibisse algum talento para as artes.

Durante a 2ª Guerra Mundial, o jovem Uderzo deixa Paris e viaja para a Bretanha, onde trabalha em uma quinta, e ajuda o seu pai Silvio no negócio de mobílias.

Anos mais tarde, ao optar-se por uma localização adequada para a aldeia gaulesa central da série Asterix, René Goscinny deixou essa decisão a Uderzo, que prontamente optou pela Bretanha.

Uderzo iniciou a sua carreira de artista em Paris a seguir à guerra, em 1945, com Flamgerge ou Clopinard, um pequeno idoso perneta que vence todas as contrariedades.

Já em 1947-1948, cria novos personagens, tais como Belloy e Arys Buck.

Uderzo conhece Goscinny em 1951. Tornam-se grandes amigos, e em 1952 decidem trabalhar juntos na delegação de Paris da empresa belga World Press. Os seus primeiros trabalhos foram Oumpah-pah, Jehan Pistolet e Luc Junior. Em 1958, as aventuras de Oumpah-pah são adaptadas e publicadas na revista Le Journal de Tintin, até 1962.

Em 1959, Goscinny torna-se um editor e Uderzo um diretor artístico da revista de banda desenhada para crianças Pilote criada em 29 de outubro. A primeira edição da revista publica pela primeira vez a série Asterix, a qual torna-se um êxito na França até hoje. Em 1961, após dois anos a serem publicadas na revista Pilote, as histórias da exitosa nova série são publicadas individualmente em livro – o primeiro, chamando-se Asterix, o Gaulês.

Em 1967, depois do êxito do primeiro livro, ambos os autores decidem dedicar-se apenas a essa série.

Mesmo depois da morte prematura de Goscinny em 1977, Uderzo segue a ilustrar os livros da série (a uma média de 1 álbum a cada 3 a 5 anos, comparados aos dois livros, por ano, em vida de Goscinny). A autoria dos livros ainda indica Goscinny e Uderzo.

Paralelamente, Uderzo veio a trabalhar também com Jean-Michel Charlier na série Michel Tanguy mais tarde chamada As Aventuras de Tanguy e Laverdure.

Encontra-se colaboração também da autoria de Uderzo na revista de banda desenhada Foguetão (1961), dirigida por Adolfo Simões Müller.

A família do desenhista anunciou o falecimento nesta terça-feira (24), em Neuilly-sur-Seine, na região parisiense. “Albert Uderzo morreu dormindo em sua casa, em Neuilly, de um ataque cardíaco não relacionado ao coronavírus. Ele estava muito cansado há várias semanas”, disse seu genro Bernard de Choisy.

A última obra, A filha de Vercingétorix, dirigida por Jean-Yves Ferri e Didier Conrad, foi lançada em outubro de 2019, para celebrar o 60º aniversário da primeira edição.

Asterix
Filho de Astronomix e Pralina, Asterix nasceu no mesmo dia que seu melhor amigo, Obelix (embora em Obélix e Companhia se comemore apenas o aniversário de Obelix). Ele é pequeno porém corajoso, e um dos mais sábios e sãos habitantes da aldeia (conhecida por “aldeia dos loucos”), e por isso geralmente é designado para missões. Sua idade não fora determinada, embora apenas se saiba que ele não participou da batalha de Alésia.

Asterix é solteiro, e embora não tenha sido introduzido um interesse romântico para ele (ao contrário de Obelix, apaixonado por Falbala), o gaulês aparecera por duas vezes afetado por um beijo, por Falbalá em Asterix Legionário e por Latraviata em Asterix e Latraviata.

Uma característica marcante do visual do personagem é seu capacete alado, com as asas alterando-se junto com o humor do personagem.

Obelix
É o melhor amigo de Asterix e possui uma força sobre-humana, pois caiu em um caldeirão de poção mágica do druida Panoramix quando era criança, recebendo o poder dela indefinidamente.

Suas maiores diversões são atacar as legiões romanas causando enorme terror aos legionários, e claro, fazer uma boa refeição, de preferência javalis assados, que devora com enorme apetite. Ele exerce a atividade de escultor e distribuidor de menires. Obelix é notável pela sua ingenuidade e estupidez, sua irritação quando o chamam de gordo, e criticar posturas culturais inusitadas (mais comumente dos romanos, com o bordão “Esses romanos são loucos” – que costuma ser alterado para um povo relevante na história).

Desde o álbum A Volta à Gália adotou Ideiafix, um cãozinho inteligente e ecologista (odeia quando derrubam alguma árvore). Muitas vezes Obelix leva seu cãozinho para as aventuras, sempre escondido de Asterix (como demonstrado no filme Asterix e Obelix – Missão Cleópatra). Desde Asterix Legionário uma paixão não correspondida por Falbalá, filha do vizinho Plantaquatix e casada.

Foi interpretado no cinema por Gerard Depardieu.

Curiosidades
Seu nome provém de obelisque (obelisco), aludindo ao seu físico rotundo, ao monumento similar aos menires que esculpe, e ao sinal gráfico (†) que assim como o asterisco que batiza Asterix é usado como nota de rodapé.
Existem duas histórias em quadrinhos que recebem o nome de Obelix no título: “Obelix e a Companhia” e “A Galera de Obelix”. Em sua maioria os títulos estão relacionados ao nome de seu parceiro Asterix.
Embora em Obelix e a Companhia se celebre apenas o aniversário de Obelix, em histórias posteriores como Asterix e Latraviata é citado que Asterix e Obelix nasceram no mesmo dia.

Por Toutatis…



Fabio Camatari Escrito por:

Dinheiro não traz felicidade... mas compra quadrinhos, que é quase a mesma coisa!