Silvestre – Wagner Willian

Em 1845 o escritor norte-americano Henry David Thoreau retirou-se para a floresta, onde ergueu, com as próprias mãos, sua nova casa e a mobília, com o intuito de viver com o mínimo necessário e em total contato com a natureza.

Em 2019, Wagner Willian, premiado autor de obras magistrais como Bulldogma, Martírio de Joana Dark Side e O Maestro, o Cuco e a Lenda deixou a casa de Thoreau com novas considerações. Entrando para o time de grandes autores da DarkSide® Books, o quadrinista brasileiro entrega aos leitores uma obra de arte imersiva e reflexiva, ao mesmo tempo orgânica e visceral.

O que moveu Thoreau foi a necessidade de procurar entender as mudanças pela qual a sociedade da época passava, bem como investigar as necessidades essenciais da vida. Não se isolou, porém, da sociedade. Recebia visitas enquanto passava dois anos em contato absoluto com a natureza e seus livros, refletindo sobre a liberdade e a existência, que começava a assumir um ritmo acelerado nas cidades com a industrialização e urbanização crescentes. O resultado desta experiência social e espiritual a partir da autossuficiência tornou-se público com Walden, ou A Vida nos Bosques, manifesto poético que o autor publicou em 1854.

Em Silvestre, acompanhamos a jornada de um velho caçador que atravessa e dialoga com lendas sobre divindades extintas, mergulhando na relação entre o homem e a natureza, e o respeito sobre o que a terra pode nos dar e o que somos capazes de oferecer. No isolamento de sua cabana, ele assa uma torta. Seu aroma cruza a memória, as paredes, a floresta, atraindo animais silvestres e criaturas fantásticas em um grande resgate ao convívio humano, digno de uma celebração selvagem e ritualística.

“Quando voltei a seguir este raro animal, a maneira como o concebia havia mudado, o mundo a minha volta também. Foi preciso encarar sua narrativa como um caderno de viagens ou sketchbook para gravar seu rastro e a animalidade em volta sem perdê-los de vista, usando do lápis, do nanquim, do óleo, do óxido de ferro, o diabo que fosse, para tentar compreender sua forma”, explica Willian.

Silvestre, lançamento da DarkSide® Books em seu selo DarkSide® Graphic Novel — inteiramente dedicado ao melhor da arte sequencial —, chega para os leitores em dezembro com quase duzentas páginas em capa dura, luva e aquele acabamento especial que os amantes da nona arte já conhecem e admiram.

Henry David Thoreau
Nem todo mundo o conhece pelo nome, mas muitos de seus ideais são bem conhecidos na atualidade. Thoreau, além de escritor, era poeta, naturalista, ativista anti-impostos, crítico da ideia de desenvolvimento, pesquisador, historiador, filósofo e transcendentalista. Este autor estadunidense fundou uma escola com o seu irmão aos 21 anos de idade, onde aplicava métodos bem inovadores de ensino, levando as crianças para passeios de campo e recusando-se a aplicar castigos físicos — algo impensável na época.

No entanto, com o falecimento de seu irmão, Henry fechou a escola e trabalhou por um tempo na fábrica de lápis da família. A vida em sociedade o deixava permanentemente insatisfeito, o que o levou a adotar um estilo de vida alternativo.

Aos 27 anos ele foi morar no meio da floresta, em um terreno que pertencia a seu amigo, o também escritor Ralph Waldo Emerson. Thoreau acreditava firmemente em um estilo de vida minimalista, utilizando apenas os recursos necessários para sobreviver.

O autor associava este estilo de vida à verdadeira liberdade. Ele considerava os trâmites da sociedade um empecilho ao aproveitamento real da vida e, em suas próprias palavras, “queria se defrontar apenas com os fatos essenciais da existência, em vez de descobrir, à hora da morte, que não tinha vivido”.

Mesmo sem experiência em agricultura, ele conseguiu viver de forma autossuficiente, plantando batatas e fazendo o próprio pão. A sua vida no meio do bosque não significou, no entanto, um isolamento total: Thoreau ainda recebia visitas de amigos e conhecidos.

Este estilo de vida durou apenas dois anos, mas foi o suficiente para ele escrever uma de suas obras mais conhecidas: Walden, que era o nome do lago às margens de onde ele viveu no período. O convívio com a natureza durou até o fim de sua vida, com longos passeios por recantos selvagens.

Além de sua vertente ecologista, Henry David Thoreau tinha outros ideais e bandeiras a defender. Suas críticas à sociedade eram tão amplas que ele preferia não se definir sob nenhuma classificação política.

De forma geral, o autor era um ferrenho contestador do pagamento de impostos, da guerra que os Estados Unidos travavam contra o México e da escravidão, ainda em voga no país. Por se recusar a pagar impostos ele chegou a ser preso, o que o inspirou a escrever o livro Desobediência Civil.

Esta obra serve até hoje como base para libertários e anarquistas. O escritor Leon Tolstói venerava o ensaio e o recomendou, por carta, a um jovem indiano preso na África do Sul: Mahatma Gandhi. Além de terem sido aplicados por Gandhi, os ideais de Thoreau também serviram de inspiração para Martin Luther King Jr.

Na cultura pop atual, traços dos ideais do escritor podem ser percebidos no livro e filme Na Natureza Selvagem, que conta a história real de Christopher McCandless, um jovem que buscou viver de forma minimalista em uma jornada solitária rumo ao Alasca. Na ficção, o filme Capitão Fantástico conta a história de uma família que adota o mesmo estilo de vida em uma floresta, não completamente privados da sociedade.

5 Citações famosas de Henry David Thoreau:

Entre obras e declarações públicas, o autor deixou muitas citações que são um verdadeiro convite à reflexão. A seguir selecionamos cinco delas:

1. “O melhor governo é o que não governa. Quando os homens estiverem devidamente preparados, terão esse governo.”

2. “A bondade é o único investimento que nunca vai à falência”.

3. “Para cada mil homens dedicados a cortar as folhas do mal, há apenas um atacando as raízes.”

4. “A maioria dos homens vive uma existência de tranquilo desespero.”

5. “O homem mais rico é aquele cujos prazeres são mais baratos.”

Sobre o autor
Wagner Willian vive isolado em uma pequena choupana, saindo apenas para caçar mantimentos e narrativas. Algumas delas premiadas e publicadas no exterior. Ele é autor de Lobisomem Sem Barba (Balão, 2014, ganhador do Prêmio Jabuti); Antes da Razão (Vallourec, 2015); É (Bem) Difícil (Social Comics, 2015); Deus é o Jiraiya (Nébula, 2016); Bulldogma (Veneta, 2016, ganhador do Troféu hqmix e Prêmio Grampo de Ouro); Flerte da Mulher Barbada (Veneta, 2016, finalista do Troféu hqmix); O Impossível Cavalo de Bronze (Balão, 2016); O Maestro, o Cuco e a Lenda (Texugo Editora, 2017, finalista do Prêmio Jabuti e ganhador do Troféu hqmix); e Martírio de Joana Dark Side (Texugo Editora, 2018, ganhador do Troféu hqmix).
Em uma entrevista à DarkSide, Wagner Willian comenta suas inspirações para a criação da graphic novel Silvestre, sua própria relação com a natureza e a experiência no mercado publicitário.

Ficha Técnica

Título | Silvestre

Autor | Wagner Willian

Editora | DarkSide®

Especificações | 192 p., 16 x 23 cm, capa dura (Limited Edition)

Link para compra:

https://www.amazon.com.br/Silvestre-Wagner-Willian/dp/8594541910

https://www.darksidebooks.com.br/silvestre-drk-x/p



Fabio Camatari Escrito por:

Dinheiro não traz felicidade... mas compra quadrinhos, que é quase a mesma coisa!