PREDADORES – Enrico Marini & Jean Dufaux

Sinopse Oficial: Escrita por Jean Dufaux e ilustrada por Enrico Marini, a série em quatro volumes Predadores mostra uma trama cativante cheia de mistério, ação e sensualidade, e acrescenta um novo capítulo ao gênero de terror das criaturas da noite conhecidas por nós como vampiros…

Lançada no Brasil sem muito alarde pela Editora Devir, em 2008, a série que mostra o trabalho de Marini em início de carreira (nos quadrinhos) e todo seu potencial. Em quatro volumes e com acabamento de luxo (porém em capa cartonada), a série nos dá mostras do requinte e dinâmica que Marini viria a apresentar em Batman: Príncipe Encantado das Trevas (clique aqui para ver mais), recentemente lançado pela Panini.

Esta mini série merece uma reedição, talvez em volume único com capa dura, quem sabe? Fato é que pode não ser o principal ou maior trabalho de Marini, já que é escrita por Jean Dufaux. em alguns momentos os volumes parecem apressados entre si… passagens de tempo muito rápidas ou que careceriam de melhor continuidade. É de se notar também que o traço de Enrico não está tão sofisticado como em Batman, mas suas cores já mostram uma técnica apurada. Os cenários (parte que todos artistas acham um porre desenhar) são um show a parte em qualquer de suas obras, inclusive aqui.

Pois bem, fazemos aqui um breve resumo de cada edição, para você julgar se vale a pena ou não correr atrás destes números:

Predadores #1

Assassinatos misteriosos inquietam a polícia de uma grande metrópole. As vítimas são encontradas mortas, mas sem uma gota de sangue em seus corpos. E o mais intrigante é a frase escrita nos locais dos crimes: “SEU REINO ESTÁ CONDENADO!”
A bela e ousada Tenente Vicky Lenore está tentando solucionar o mistério por trás desses assassinatos, mas conta apenas com a ajuda de seu parceiro, o Detetive Benito Spiaggi. O que os dois não sabem ainda é que a solução desse enigma macabro pode estar mais perto do que eles imaginam.

Predadores #2

Aznar Akeba aparenta ser um jovem estudante como qualquer outro, mas ninguém imagina que segredos ele esconde dentro de si. Sem que ele próprio saiba, sua existência poderá decidir o destino de pessoas que manipulam o poder do mundo há séculos. O que ele também desconhece é que seu caminho está fadado a cruzar os passos dos implacáveis predadores da noite Drago e Camilla, cuja história ainda permanece um total mistério. Quem são e por que eles caçam os integrantes de uma sociedade secreta? E o que há por trás dessa estranha irmandade que controla a cidade?

Predadores #3 

Aznar Akeba volta a ser uma peça importante neste nefasto quebra-cabeças  e mais do que nunca, a frase mórbida “SEU REINO ESTÁ CONDENADO!” parece fazer sentido. Qual a ligação entre o jovem Aznar e os predadores noturnos Drago e Camilla?

Predadores #4

Violentos assassinos continuam a aterrorizar a cidade. A polícia e os políticos, totalmente controlados por uma sociedade secreta milenar, estão de mãos atadas. O Detetive Benito Spiaggi luta quase sozinho uma batalha que já parece estar perdida. Não há mais como saber em quem confiar. Tendo apenas a noite como testemunha, Camilla e seu impiedoso irmão Drago arrastam a Tenente Vicky Lenore para dentro de uma teia de intrigas e sedução que irá fazer transbordar um mar de sangue. Mas a participação inesperada de Aznar Akeba pode mudar radicalmente o rumo e trazer à tona um segredo cujas consequências serão decisivas e destruidoras.

Sobre os autores

Jean Dufaux, nascido em 7 de junho de 1949, em Ninove, Bélgica é um escritor de quadrinhos que começou sua carreira profissional como jornalista do “CINÉ-PRESSE”,e passou a escrever histórias em quadrinhos nos anos 80. Talvez sua série mais conhecida e certamente mais longa seja Jessica Blandy. Com Enrico Marini, produziu apenas Predadores.

Enrico Marini, um italiano, nasceu em 13 de agosto de 1969, na Suíça, onde estudou ilustração na Academia de Belas Artes da Basiléia. Seu estilo é influenciado por quadrinhos americanos, fumetti italiano, francês bande dessinée e mangá japonês; é um admirador de autores como Milton Caniff, Alex Toth, John Romita Sr., Mike Mignola, Hermann, Jordi Bernet, Hergé, Giraud e Otomo. Sua carreira foi lançada no Festival de la Bande Dessinée, em 1987, em Sierre, onde competiria com os talentos emergentes mais promissores. Seu talento próprio foi reconhecido imediatamente, e ele foi encarregado de sua primeira série, Olivier Varèse, baseada em um roteiro de Thierry Smolderen, produzido pela Alpen Publishing. Em 1992, Marini e Smolderen tentaram algo totalmente diferente com Gipsy (Gypsy), uma aventura de ficção científica com um verdadeiro herói durão. Marini então entraria no reino dos vampiros com Rapaces (2015 Europe Comics, Raptors), desta vez ao lado de Jean Dufaux. Com Stephen Desberg, ele realizou seu sonho de infância de criar uma história em quadrinhos em estilo ocidental, L’Étoile du désert (2016 da Europa Comics, Desert Star). Juntos, eles co-escreveram Le Scorpion (The Scorpion, Cinebook), uma enorme série de aventuras e fanfarrões. Mais recentemente, desde 2007, Marini, agora um escritor de pleno direito, tem trazido civilizações antigas de volta à vida com a saga épica de Les Aigles de Rome (2015 da Europa Comics, The Eagles of Rome). Batman: O Príncipe Encantado das Trevas (publicado pela DC) é o seu mais recente e mais ambicioso projeto. Ele é conhecido por ser um dos raros artistas de quadrinhos que pinta sua arte original diretamente na página. Siga-o no Instagram: @marini_art



Fabio Camatari Escrito por:

Dinheiro não traz felicidade... mas compra quadrinhos, que é quase a mesma coisa!