La Dansarina – Lillo Parra e Jefferson Costa

Sinopse Oficial: Em 1918, durante o surto de Gripe Espanhola que matou milhões em todo o mundo, Petro, um jovem filho de imigrantes, contrai a doença e fica acamado durante semanas. Quando acorda descobre que sua mãe foi mais uma vítima fatal daquela terrível doença. Esquecida pelo serviço funerário, seu corpo está insepulto há três dias no pátio do cortiço onde moram. Petro decide então lhe dar um funeral digno. Mas para isso terá que carregar o corpo de sua mãe por uma cidade devastada. Através do realismo fantástico, Lillo e Jefferson criaram uma fábula impressionante sobre um dos piores episódios da história da Humanidade. Aclamado por público e crítica, La Dansarina foi considerado o álbum do ano no Troféu HQMIX, principal premiação dos quadrinhos brasileiros.

Antes de passarmos para a análise desta belíssima obra, vamos falar um pouco sobre a Gripe Espanhola e que impacto teve. Apelidada de La Dansarina e representada na obra por uma dançarina de Flamenco, também é chamada de gripe pneumônica, peste pneumônica ou simplesmente pneumônica, a gripe espanhola foi uma violenta pandemia que atingiu o mundo em 1918-1919, provocando milhões de mortes, especialmente entre os setores jovens da população. Considerada a mais severa pandemia da história da humanidade, foi causada pela virulência incomum de uma estirpe do vírus Influenza A, do subtipo H1N1 (reconheceu o nome agora?).

A denominação “gripe espanhola” foi cunhada devido ao fato de muitas das informações a respeito da doença terem sido transmitidas pela imprensa da Espanha. Os jornais desse país, que se manteve neutro durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), não sofriam censura quanto às notícias sobre a epidemia, o que não era o caso da imprensa dos países beligerantes. Por isso, assim que a gripe chegava a algum país, era logo chamada de “espanhola”. Calcula-se que a pandemia afetou, direta ou indiretamente cerca de 50% da população mundial, tendo matado de 20 a 40 milhões de pessoas – mais do que a própria Primeira Guerra (cerca de 15 milhões de vítimas) –, razão pela qual foi qualificada como o mais grave conflito epidêmico de todos os tempos.

Voltando para essa lindíssima Graphic Novel, aqui temos a história do pequeno Petro, um dos poucos sobreviventes dessa verdadeira pandemia que foi apelidada de La Dansarina. Sua mãe vem a falecer quando muito jovem e as velas páginas desenhadas por Jefferson Costa mostram sua jornada para realizar um funeral digno para sua mãe. Petro vai “crescendo” a partir dos obstáculos que atravessa, e também transformando a aqueles com quem encontra. A narrativa intercala o Petro menino com o idoso, já convalescente em um hospital, levando a um final de “suar os olhos”. É muito forte a reflexão sobre família, religião e principalmente nossa relação com a morte (e como era encarada 100 anos atrás, comparada aos dias atuais).

Você pode conferir um pouco mais do competente trabalho de Jefferson Costa na mais recente Graphic MSP, Jeremias – Pele, que você pode ver o que achamos no link abaixo.

La Dansarina
Editora Jupati
Roteiro: Lillo Parra
Arte: Jefferson Costa
Lombada quadrada
Colorido
20,5 x 27,5 cm
140 páginas



Fabio Camatari Escrito por:

Dinheiro não traz felicidade... mas compra quadrinhos, que é quase a mesma coisa!