Loading

Misto de reportagem e ficção, Kaputt foi um livro escrito secretamente quando o jornalista Curzio Malaparte cobria a Segunda Guerra Mundial como enviado do jornal Corriere della Sera e se tornou um best-seller ao ser publicado. Relatando jantares e conversas do lado do inimigo, Malaparte apresenta um retrato devastador da humanidade.

A adaptação da obra de Guazzelli para os quadrinhos traz os seis contos que compõe a versão original de 1944. Ela é justamente um dos livros preferidos de seu pai – um advogado muito combativo, conhecido pela oposição à ditadura militar no Brasil.

Já Kurt Erich Suckert, mais conhecido pelo pseudônimo Curzio Malaparte (nascido em Prato, 9 de junho de 1898 – 19 de julho de 1957) foi um escritor, jornalista, dramaturgo, cineasta, militar e diplomata italiano. O sobrenome de seu pseudônimo (por si usado desde 1925), significa em italiano “parte má”, sendo um trocadilho com o nome de família de Napoleão Bonaparte – que significa, em italiano, “parte boa”.

Kaputt não é apenas uma obra sobre a Segunda Guerra, ou um relato do front. É algo visceral, atual e incomodante. Você pode aplicar as passagens em qualquer situação de tempos recentes: discriminação, xenofobia, violência e falta de humanidade.

Um de meus trechos preferidos é o diálogo entre um oficial nazista responsável por incontáveis massacres e um menino que deu uns tiros em sua tropa. Ele diz que não quer fazer mal ao garoto, argumenta que não inventou o conflito e que não está ali para matar crianças. E então propõe um desafio:
– Escute, eu tenho um olho de vidro. É difícil distingui-lo do verdadeiro. Se você souber dizer logo, sem ficar pensando qual dos dois é o de vidro, deixo você ir em liberdade.
O menino não hesita:
– O olho esquerdo.
O oficial fica espantado com a assertividade do garoto. Pergunta como ele conseguiu diferenciar.
O garoto explica:
– Porque, dos dois, é o único que tem algo de humano.

Outro trecho que considero impactante é a passagem sobre os cavalos:
page_kaputt

Muito mais que um quadrinho.

Editora: WMF Martins Fontes – Edição especial
Autores: Curzio Malaparte (texto original) e Guazzelli (adaptação e arte).
Preço médio: R$ 59,00
Número de páginas: 184
Data de lançamento: Novembro de 2014

<p>Dinheiro não traz felicidade… mas compra quadrinhos, que é quase a mesma coisa!</p>

Top